Apple Watch detecta doença cardíaca e salva vida de idosa de 74 anos

Tempo de leitura: 1 minuto

O smartwatch da maçã mais famosa do mundo volta a ser notícia nos EUA. O fato se deu após a americana Marie Bourque, 74 anos, ter sido acordada durante a madrugada com uma notificação do relógio, que acusava irregularidades em seus batimentos cardíacos. O alerta fez com que a senhora procurasse imediatamente um hospital e chegasse a tempo de evitar o pior: um possível derrame ou ataque cardíaco.

O Apple Watch, além das inúmeras funções, conta com um recurso que monitora os batimentos cardíacos. O recurso funciona através de uma espécie de sensor óptico que usa uma tecnologia chamada fotopletismografia. 

Amazon Echo | 10 comandos bem “da hora” para usar a Alexa em português

No hospital, a senhora Bourque conseguiu diagnosticar e tratar, de forma precoce, a doença chamada fibrilação atrial, que atinge e mata cerca de 130 mil americanos anualmente. “Sem a notificação, eu teria acordado na manhã seguinte – espero – e estaria em uma situação muito séria”, disse Bourque ao jornal New York Post.

Apple Watch detecta doença cardíaca
Apple Watch detecta doença cardíaca

Estudo aponta que o Apple Watch detecta doença cardíaca

O caso reforça a teoria de que os smartwatches podem auxiliar na identificação precoce de algumas doenças que acometem o sistema cardíaco.

Um estudo feito pela própria empresa e que contou com 419.287 norte-americanos que usavam relógio smart da Apple, apontou que 5% possuíam sinais de arritmia, um número aproximado aos 4% quando falamos em população em geral.

A irregularidade cardíaca foi detectada a partir do sensor óptico do relógio, que fez a análise do pulso dos pacientes durante todas as horas do dia em um período de oito meses. O estudo foi realizado pela universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e foi patrocinado pela marca Apple.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *